terça-feira, 24 de maio de 2016

Karine Alexandrino "Querem acabar comigo, Roberto" (Tratore, 2007)


              
             “Querem acabar comigo, Roberto” é o segundo disco da cantora Karine Alexandrino, uma das vozes femininas mais interessantes surgidas no novo milênio. 

                       Diferente de boa parte das cantoras da música brasileira, Karine Alexandrino não segue uma linha evolutiva das vozes de mulheres, não presta loas à Gal/Elis/CássiaEller, não é hippie/bucólica, muito menos compõe pensando na novela. Pelo contrário, faz música eletrônica e está inserida num universo cosmopolita mesmo distante do eixão sudeste.

                 O álbum traz 10 canções, a maior parte composta pela dupla Karine Alexandrino e Dustan Gallas, que também assina toda a produção e edição do disco. Uma das melhores é o big beat “Loca pos ti”, que brinca com a fonética do sotaque cearense. 

               As três versões demonstram a versatilidade na escolha do repertório, do sucesso infantil “O elefante”, do Robertinho de Recife, passando pela ótima "Kiss kiss kiss", da Yoko Ono, até a balada italianíssima “Dio como ti amo”, grande momento do disco que não é um tributo a obra do Roberto Carlos.

                 É um trabalho essencialmente eletrônico, mas com rompantes orgânicos, como na balada "Tenho febre, mas vou buscar nosso dinheiro". É eletrônico, mas não avançou pelo trip hop ou flertou com o drum'n'bass, muito menos teve a pecha de lançar a nova onda, ainda assim garantiu à Karine Alexandrino o reconhecimento da crítica especializada, esta já um tanto embasbacada com a primeira pedrada, “Solteira producta”, de 2002. 

               Um ótimo álbum de uma cantora que pode ser definida a partir do que ela não é.

               Disponível no Youtube!

Nenhum comentário:

Postar um comentário