quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Arrigo Barnabé "Suspeito" (3M, 1987)



                  Arrigo Barnabé chegou à segunda metade da década de 80 numa condição quase favorável. Antes havia inserido elementos novos à MPB conquistando lentamente o público com um trabalho que causou estranhamento inicial, mas que foi corroborado como inventivo por boa parte da MPB vigente.
        
                    Depois de dois discos bem sucedidos, e diferentes entre si, para seu terceiro álbum novamente Arrigo se reinventou e buscou inserção logo no terreno mais pantanoso para alguém com tantas referências eruditas, o pop comercial.

                     Em “Suspeito” Arrigo pouco lembra o pianista que lidera a Banda Sabor de Veneno, não fosse a insistência em trazer os vocais femininos que caracterizam suas músicas, seria outro Arrigo. 

                    O disco traz pop cafajestemente bobo, o hit “Uga Uga”; Charleston, em “Mr. Walker e a garota fantasma”; Bossa Nova, “A serpente”, com direito à inserção em francês, além do Rap “Dedo de Deus”e do lindo brega "Amor perverso" "Diabo no corpo" é a que mais se aproxima da fase "Clara Crocodilo", uma das melhores do disco.

Revista Roll, edição 57, ano V

                    A bossa “Já deu pra sentir” de Itamar Assumpção traz a participação do Nego Dito. Esta e "Dedo de Deus" foram regravadas por Cássia Eller no seu disco de estreia, em 1990.

                   Produzido por Dino vicente, "Suspeito" chegou ao mercado através do selo 3M, embrião fonográfico da empresa multinacional de materiais plásticos, e teve uma boa repercussão. Na mídia o disco foi saudado pelo inesperado/ousado.

                    “Uga uga” entrou no rádio, mas “Suspeito” não emplacou, ainda erudito demais para o padrão raso do público consumidor de discos. Arrigo sucumbiu à arriscada pop e a 3M foi pro beleléu. Nessa “Suspeito” se perdeu.

                     Quer ouvir? Download aqui!
                     Também disponível no Youtube!

Nenhum comentário:

Postar um comentário