terça-feira, 24 de novembro de 2015

Nut (Cogumelo Records, 1995)


                Quem responde pelo Nut são duas figuras conhecidas do underground nacional dos anos 90. Um veterano do cenário heavy, Wladimir Korg (Chakal, The Mist, Junkie Jesus Freud Project) e Ronaldo Gino (Virna Lisi). Da união dos dois rendeu o Nut e seu único disco.

              É um trabalho bastante experimental, a começar pela abertura mezzo oriental de “Catatonia”. Na sequência, batidas pulsantes à heavy de Seattle dão as caras em “Hourglass” e “Insane brain”.

           As músicas são longas e dialogam com instrumentos atípicos no rock, como o berimbau em “the last unicorn”. Noutros arranjos apontam para uma pesquisa acústica de timbres de cordas, “Delirium”, e efeitos de estúdio. “In jail” se arrisca no idioma pátrio da dupla, e se dá mal.

             O disco foi lançado pela lendária Cogumelo Records, selo que sempre recebeu as ideias musicais de Korg, e teve pouca divulgação por parte da gravadora, que na época abria seu catálogo para trabalhos mais distante do metal que lhe dera o sucesso comercial dos primeiros anos. Caiu no esquecimento público tão logo chegou ao “mercado”. Um disco que passou despercebido e que ainda figura no limbo do rock nacional.

               Quer ouvir? Download aqui!
               Também disponível no Youtube!

6 comentários:

  1. O Nut fez show sim, inclusive com o J. Quest no Lapa Multshow pouco antes da banda estourar. Também gravaram uma demo depois do cd, que passou batida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo! Obrigado pela correção, é que eu realmente não encontrei nada na internet que desse conta do breve futuro do Nut. O texto foi editado, obrigado mesmo. abração

      Excluir
  2. Olá,
    Que maravilha esse album hein? Sou fã do The Mist, Chakal. Não sabia desse projeto do Korg. Acredito ser difícil achar esse CD hoje em dia...não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oddy!
      Obrigado pela visita.
      Cara, não é difícil, não. A Cogumelo deve vender esse disco até hoje, procure-os. Abração!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir