sexta-feira, 26 de junho de 2015

Galinha Preta (Danado Records, 2013)



                 O segundo disco do Galinha Preta atualizou o tradicional cenário de hardcore brasiliense para a segunda década do novo século. Um disco curto e rápido, como manda a cartilha do gênero, aqui também representada pelas colagens que introduzem as canções.

                   São 16 temas em menos de 20 minutos, sempre com um humor corrosivo expresso em letras de poucas palavras, em "UNB" e "Música de trabalho" uma única frase faz a vez de letra. Não muito diferente das outras canções compostas de versos curtos e simples. "Boris" lembra o infeliz caso do apresentador de telejornais ao comentar em off as felicitações natalinas de garis. "Ratoburguer" homenageia o lanche popular do terminal rodoviário da capital nacional. "A cigarra e a formiga" reinterpreta a fábula infantil, enquanto "Roubaram o meu rim" adapta em canção a lenda urbana do projeto de sedução, sedação e roubo de órgãos.

                      É um disco bem humorado e informado, o que lhe deixa um tanto preso aos acontecimentos públicos que rondam as composições. Tudo acaba em 20 minutos, mas ouvir novamente o disco chega a se tornar uma tarefa cansativa, afinal o hardcore do Galinha Preta não traz novidade sonora, ainda que bem conduzido e interpretado, Frangokaos é um bom vocalista e com um excelente "nome artístico". O projeto gráfico é excelente e recebeu colaboração dos traços de Evandro "Esfolando" Vieira, outra figura fundamental para  hardcore candango.

                   Que ouvir? Download aqui!
                   Também disponível no Youtube!

Um comentário:

  1. As micro letras são bem mais interessantes do que aquelas da Usina Le Blond, leia-se, Carlos Lopes.

    ResponderExcluir