quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

V.A. "Brazilian Surf A-Go-Go" (Groovie Records/Gravadora Discos, 2007)


                Pode parecer estranho, mas o Brasil tem uma "tradição" de bandas de Surf Music. O que vem desde a década de 60, com o The Jordans, e Os Incríveis, estes autores do maior clássico brasileiro de Surf Music, o hit instrumental "O milionário". A Jovem Guarda também bebeu da fonte e décadas à frente Dick Dale e Link Wray também fizeram escola por aqui. Toda esta "tradição" deu nesta coletânea, a primeira do gênero a abranger quase que a totalidade das bandas brasileiras dedicadas à Surf Music no novo milênio. 

                   Em "Brazilian surf a-go-go: The atack of the tiki waves Vol. 1" temos 20 bandas em quase 50 minutos. A divisão é simples, dez bandas para cada lado e temas curtos, poucos ultrapassam os dois minutos. O Lado A abre com uma das maiores bandas de Surf Music brasileira de todos os tempos, o Dead Rocks, o trio manda alisa a prancha em "the center of the universe", também presente no disco "Tiki twist". Seguindo a linha do Surf Music tradicional do Dead Rocks também tem o Cochabambas, Surfadélica, Super Stereo Surf, Los Tornados, Surfmotherfuckers (quase um hit do programa de TV Alto-Falante em 2000), Violentures, Erik Von Zipper, Monstros do Ula-Ula e o Frank Simata, esta com a canção que homenageia o maior evento brasileiro dedicado ao estilo, o Campeonato Mineiro de Surf, realizado em Bel Horizonte/MG.

               Saindo do estilo tradicional da Surf Music, há também as banda com nítidas influências de punk rock e que aceleram o estilo, tais como o Los Pirata, Estrume"n'Tal (barulhentos à beça), Ambervisions, Autoramas e Pazuzus com um dos melhores temas do compilado.

                  Há também canções de Surf Music pesadas, como o Pata de Elefante - que não é uma banda Surf, mas que trabalharam muito bem temas instrumentais carregados de peso - e o Los Muertos Viventes - a única banda não-instrumental da coletânea. Dos mais ousados temos um Surf Music do tipo italiano com o(a) Proa - parece tema de desenho animado - e uma "big band surf" com o Capitão Parafina e os Haoles.

           Se a melhor parte de ter uma banda instrumental é por título nas canções, os melhores ficam para o Ambervisions com o impagável "Quem come não é viado" e o Capitão Parafina e Os Haoles com "Fugindo desesperadamente do helicóptero malvado na densa selva sombria e úmida e com muitos perigos", não te disse que os títulos são doidos?

                "Brazilian surf a-go-go: The atack of the tiki waves Vol. 1" foi lançado pelo selo português Groovie Records e a seleção das canções ficou a cargo de Gabriel Thomaz (Autoramas, Little Quail & The Mad Birds), que também cuidou da representação brasileira do álbum através de seu selo Gravadora Discos. Lançado apenas em LP, com um excelente trabalho gráfico, a contracapa traz um texto de apresentação de Paul Dirt, mentor do site reverbcentral.com, uma "bíblia" para os aficionado por este gênero instrumental. Surf's Up!

                Quer ouvir? Download aqui!
                Também disponível no Youtube!

Nenhum comentário:

Postar um comentário