quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Pessoas do Século Passado (Slag, 2003)



                 Dodô Azevedo e Gustavo Seabra musicaram trechos do livro Pessoas do Século Passado, autoria de Dodô, e fizeram o disco mais próximo que a Pelvs teria se cantasse em português. Aqui não tem o loud surf presente nos discos barulhentos do quinteto carioca, mas ainda traz aquela melancolia preguiçosa da voz e interpretação de Gustavo. As guitarras barulhentas também dão as caras, mas não conduzem as oito longas canções do álbum que ultrapassa os 60 minutos de duração.

                      A abertura instrumental com "7h da manhã de nossas vidas" funciona com um despertador insistente, ou um toque de despertador que mais parece uma big band invadindo o quarto às sete da manhã. O disco começa mesmo com "Alguma coisinha", canção melancólica que apresenta um sujeito inerte ao seu próprio tempo e espaço, alguém que prefere ficar na cama ao invés de abrir a janela. O som é algo que a Pelvs poderia ter feito, lindas guitarras barulhentas e uma preguiça da existência.

                É um disco melancólico e por vezes triste. Parece envolvo de uma crise existencial, como em "Se  pudesse, reencarnaria vento, ou a cor azul", uma letra e música bastante sensível que começa afirmando que "viver dá tanto trabalho". Num segundo momento o disco ganha a a voz de Fernanda, que conduz as longas "Decibéis que me deixam feliz", "Vai doer, mas eu quero", esta com quase 10 minutos, e "Destempero" que também traz a participação do Grupo Arcos do Choro. O noise só volta na última, a ótima "Coração para amassar"

                      O disco foi lançado pelo selo paulista Slag Records, com produção de Gustavo e Dodô. O projeto gráfico segue uma estética que remete ao conteúdo do álbum, desde o coração da capa até os tons em rosa e as formas geométricas repetidas.

                    Quer ouvir? Download aqui!
                    Também disponível no Youtube!

Um comentário: