domingo, 28 de dezembro de 2014

Blind Pigs "São Paulo Chaos" (Paradoxx, 1997)


                    O Blind Pigs surgiu com uma tarefa ingrata para uma banda punk, pois nasceu em pleno berço de ouro. No caso do quarteto, o berço se localizava em Alphaville, uma das regiões da grande São Paulo com maior concentração de renda per capita.

                 Tirando este detalhe, que deve ter facilitado a viabilização da banda, o restante da história dos primeiros anos do Blind Pigs não difere muito da história do começo de todas outras bandas, principalmente as punks.

                 Formados em 1992, a banda atingiu maturidade com o acúmulo de demo tapes, que chamavam atenção por trazer capinhas coloridas e boa qualidade de gravação. No princípio todas as letras eram em inglês e mais identificáveis com o punk rock californiano, notadamente Bad Religion e Rancid.

                As letras em português entraram no primeiro disco por influencia do produtor Jay Ziskrout e foram compostas já com a banda no estúdio. "Conformismo e resistência", que também é o título de um famoso livro da filósofa Marilena Chauí, e "Verão de 68" mostraram que a banda deveria seguir o caminho das letras no idioma de Pedro de Lara, mas o Blind Pigs só veio a fazer isso de vez com o terceiro disco, "Blind Pigs" de 2002, considerado o melhor trabalho da banda.

            Em "São Paulo Chaos" as letras fogem de qualquer tema caótico, muito menos tratam sobre São Paulo. Há um desfile de superficialidades que flagram uma banda ainda em processo de amadurecimento, ainda que gere bons momentos, como em "Fuck the T.F.P." e "Urban paranoia".
      
             O disco foi bancado pela paulistana Paradoxx, com produção de Mingau e Jay Ziskrout. Jay havia sido o primeiro baterista do Bad Religion e naquele momento da década de 90 cuidava dos negócios da perna europeia do selo californiano Epitaph. Jay estava no Brasil em busca de bandas para o seu novo selo especializado em bandas latinas, o Grita!. O selo contratou o Blind Pigs e Jay produziu o disco. O Grita! contava com distribuição em três continentes, incluindo o Brasil, via Paradoxx.

              Com "São Paulo Chaos"o Blind Pigs tocou em muitas cidades do Brasil com a turnê intitulada "Brasil Chaos Tour". Em 1997 todas as cidades em que havia uma filial da casa de shows Aeroanta houve show do Blind Pigs. Um feito e tanto para uma banda que acabara de lançar seu primeiro registro oficial.

                O disco vendeu 10 mil cópias com distribuição nos Estados Unidos, Japão, Europa e América Latina. No ano seguinte o Blind Pigs encerrou atividades e retornou dois anos depois com um selo próprio, a Sweet Fury Records, criado pelo vocalista Henrike, apenas para lançar material do Blind Pigs, o selo próprio re-editou o CD "São Paulo Chaos" em 2002. Em 2012 o disco foi lançado no formato LP de 10 polegadas pelo selo Hearts Bleed Blue.
.
                 A edição de 2002 ilustra este texto e traz como bônus um cover para "The KKK took my baby away", presente também na coletânea "Blitzkrieg over you: A tribute to The Ramones", lançada somente na Alemanha. Uma inédita, "Órfão da ditadura" e mais três canções retiradas da demo tape "Lost cause", de 1995.

                Quer ouvir? Download aqui!
                Também disponível no Youtube!

Nenhum comentário:

Postar um comentário