segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Diesel (Independente, 2000)


               No final da década de 90 uma banda de rock despontava de Belo Horizonte/MG como uma promessa brasileira para o mercado internacional da música. Pensando na origem do quarteto, e conhecendo um pouco das bandas de rock daquela região, qualquer um poderia se precipitar em afirmar que BHz deu mais uma banda de Death/Thrash/Black Metal, mas não, o Diesel está distante da água pesada que alimentou tantos nomes do rock mineiro. Aqui o som tá mais próximo do rock norte-americano produzido durante os 90's, ecos de bandas grunges estão por toda parte, das boas letras à riffs e efeitos de guitarras.

             O único registro do Diesel foi lançado de forma independente e veio encartado à um poster vendido em bancas de jornal ao valor de R$9,90. Vendeu bem, algo próximo das 5 mil unidades. O álbum abre com "Drain", canção que vai num crescendo que explode num belo refrão, quando chega ao final você está cantando junto. E não é assim que se medem as canções pop? "Plastic smile" lembra muito as bandas norte-americanas que despontaram comercialmente após a bala que atravessou a cabeça do Kurt Cobain, meio Stone Temple Pilots e com um bom trabalho de guitarras, de Leo Marques e Gustavo Drummond, que também dá conta do microfone.

               Por mais que seja um disco de rock, carregado de distorções, tons graves, com baixo aquele baixo "gordo" e bateria que leva porrada pra valer, é inegável o teor pop do Diesel. "Burn my hand" poderia se um hit fácil. "Kill the inner loser" é quase como uma fórmula pop, com refrão em falsete e tudo. O mesmo vale para "My pain", as músicas mudam, mas não muito. "4D" ganhou vídeo clipe e é um dos pontos altos do álbum.

Bizz, edição 117, abril de 2000
            Com este trabalho o Diesel conquistou a premiação mais importante que uma banda independente nacional poderia alcançar naquele começo de milênio. No concurso Escalada do Rock não teve pra ninguém e o Diesel foi a banda selecionada para tocar no palco principal do Rock In Rio III, que seria realizado em janeiro de 2001. E assim foi, no dia 21 de janeiro o Diesel abriu atividade na Cidade do Rock, criada em Jacarepaguá-RJ, numa noite que ainda traria O Surto (bleargh!!!) Deftones, Silverchair, Red Hot chili Peppers, dentre outros. O show do Diesel foi interrompido pouco depois dos seus 20 minutos por conta de tumultos na entrada do evento, mas pode ser conferido aqui: Diesel Rock in Rio III (parte 1), Diesel Rock in Rio III (Parte 2).

          Logo após o festival o quarteto realizou outro plano iniciado antes mesmo do lançamento do disco, a busca definitiva do mercado norte-americano, uma vocação imanente à existência do Diesel. A transferência BH-NY não foi suficiente para que o Diesel despontasse. Pior. O quarteto sucumbiu à tentativa voltou com um novo nome, Udora, desmembrado, o baterista Jean assumiu a vaga deixada por Iggor Cavalera no Sepultura, e  com uma temática diferente, distante do rock super americano deste excelente disco. 

                Quer ouvir? Download aqui!
                Também disponível no Youtube!

9 comentários:

  1. Eu tava no Rock in rio nesse dia. Uma grande sacanagem que fizeram com a banda. Interromperam o show (porque realmente estava uma confusão enorme na entrada) e deixaram aquela coisa horrenda do surto tocar um show de covers. Nao sei se teria mudado a história da banda (vide o proprio surto, que fez um show inteiro e nao deu em nada), mas pelo menos valeu por eles terem feito todo mundo cantar
    um refrão de uma musica que a maior nunca tinha ouvido. O Udora, tanto em ingles quanto em portugues também vale a pena conferir. E no estilo da banda, aqui em manaus, tínhamos a Several, que infelizmente acabou ano passado.
    https://www.youtube.com/watch?v=ywDUafFBPes&list=PL0DC75991E68F620B

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. richardjal!
      Nem me lembre do show do Surto, não estava lá, mas assistia a tudo pela TV. Incrível como deixaram aquela merda no palco principal. hehehehe Eles tocaram uma versão para "californication" que me fez ficar com vergonha dos amigos que também assistiam o show comigo. Uma merda inesquecível. Prefiro o Diesel!
      Bom este Several, os caras manjam de composição, sabem fazer. Obrigado pela dica e pela visita boa de sempre!
      Abração!

      Excluir
  2. Eu estava lá no dia 21, não conhecia o Diesel até então, fui para ver
    Deftones e Silverchair.

    Não lembro a data exata, mas no segundo semestre do mesmo ano, eles fizeram um show no HANGAR 110 (São Paulo/SP).

    Não deu casa cheia, mas quem estava lá foi exclusivamente para vê-los, E FOI FODA PRA CARAIOOOOOOOOO !!!!!!

    E de quebra teve uma banda de abertura que tb é FODA... PAURA !!!
    Quem não conhece, favor procurar.

    Abrazzz.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. KRALHOOOWWW

    Obrigado por compartilhar amigo...
    Procurava por este cd a alguns anos.. Um amigo me apresentou na faculdade o som.. Sou de Curitiba e estudávamos em Itajaí-Sc.
    Abrass

    ResponderExcluir
  5. Olá galera do blog Disco Furado, obrigado por compartilhar essa obra prima mineira, do nível de Aleijadinho heheheh!!! Excelente disco, recomendo!!

    ResponderExcluir
  6. Putz man, perdi o meu cd do Diesel em 2003 e só agora que consegui achar ! bom de mais

    ResponderExcluir
  7. Excelente banda, não entendo porque não foram a frente.
    Abri um show deles aqui na minha cidade, (São Gonçalo - RJ) com a minha banda Diharteman.
    Galera show de bola, uma pena que perdi as fotos do evento (Rock Tur) no clube Tamoio.

    ResponderExcluir