quinta-feira, 6 de novembro de 2014

D.Fhala "Top hits" (Cogumelo Recorrds, 1995)


                Em 1995 o DeFalla passava por uma redefinição difícil na montanha russa que era trajetória da banda até então. Edu K havia pulado do barco em nome dos novos rumos de uma carreira solo e de produtor. Restou à Castor e Flu reconstruir a banda com a entrada de uma nova baterista, Paula Nozari, e um vocalista, Tonho Crocco, que também assumia o microfone do Ultramen. Para destoar um pouco mais a banda dotou uma nova grafia, agora D.Fhala.

Bizz, edição 136, julho de 1996
                O resultado da busca por manter a banda em atividade foi o sexto disco completo do DeFalla/D.Fhala, ou o único álbum do D.Fhala. "Top hits" cabe bem ao que o título induz, aqui temos uma reunião de hits que nunca tocaram no rádio e uma cara pop que a banda não havia mostrado em fases anteriores, com espaço para pequenas imprevisibilidades habituais.

              "Top hits" abre com "Flashback", uma narrativa sobre um certo ácido estragado que fez a cabeça do Tonho Crocco só no dia seguinte. "You" é pop até a medula, beira ao bubblegum pop da Beatlemania, por sinal o disco traz uma versão deturpada para "Help". A mesma deturpação vale para o hit, este de verdade, "Linha do horizonte", do Azymuth, agora vertido num funk melody. "Let me be" é outra pérola modelo beatle, autoria de Castor.
  
               "Tell me" e "Beatriz" flertam com o funkmetal. O hardcore "Os ovo da galinha", surge como uma das melhores do disco, ao lado do space pop "Sing it loud", esta ganhou videoclipe exibido raríssimas vezes. Outros bons momentos estão em "Momento singular" e "69 st", esta com destaque para a guitarra de Fornazzier.

            "Top hits" foi o derradeiro disco do D.Fhala pelo selo mineiro Cogumelo. Depois do álbum o D.Fhala entrou em recesso e voltou no final da década de 90 com a velha grafia, seu principal vocalista e - enfim! - seu grande hit mundial.

                Quer ouvir? Download aqui!

5 comentários:

  1. Esse disco, apesar de, na minha opinião, não ter nada a ver com o DE FALLA, é bem legal.
    Parece uma coletânea com músicas de várias bandas de tão diferentes que soam umas das outras.
    Mas no todo, o disco é bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. richardjal!
      Também vejo pouco do DeFalla neste disco, deve ser por isso que eles mudaram a grafia da banda. E realmente, como você disse, parece uma coletânea de tão diverso que ele soa. Até acho que isso é um ponto negativo ao disco.
      Abração! E obrigado pelo apoio!

      Excluir
  2. Lembro que comprei na época do lançamento. Têm versões demos desse álbum no youtube, já ouviu? =) Bela postagem! Sem querer abusar, tô procurando o ep do Muzak, eu tinha em mp3 e perdi. Se por acaso vc tiver, me dá um toque? Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coffeeboy! Tudo bem?
      Não ouvi as versões demo deste disco, nem sabia que existia. Mas não achei também.
      Tá aqui o Muzak, subi o mini lp para você.
      https://mega.co.nz/#!iswWwagb!t89CqTbO0maYNmNIBBeaTK-O66ktBhkHYTHghSRcLA8
      Abraços!

      Excluir
    2. Cara, se liga nesse link: https://www.youtube.com/watch?v=G9wVjNnPQTw&list=PLOrS9aZ4atIUeRetPYAi1Q4d7sbOcNR5X Se chama Buy the World - 1995 CD DEMO, demorei pra reencontrar. Esse canal tem coisas raras aliás, fuça lá! Obrigado pelo Muzak!=) Tâmo junto!!

      Excluir