segunda-feira, 4 de agosto de 2014

No Class "Want something" (Teenager in a Box, 1998)


                        Das bandas do interior de São Paulo dos anos 90, aquelas que levantaram poeira no Festival Juntatribo e foram sucumbindo aos poucos até o final da última década do século XX, muitas chegaram ao primeiro disco pouco depois da terceira ou quarta demotape, outras abandonaram o projeto de álbum próprio quando a vida no underground mostrou sinais de cansaço. Há também as que demoraram tanto tempo para debutar que quando chegaram ao primeiro registro cheio já não faziam mais parte de cena alguma - o que não quer dizer nada, afinal pertencer a uma "cena" não faz uma banda "melhor/pior" -, mas este é o caso do No Class.

                     O quinteto de Campinas/SP pode ter demorado um pouco para chegar ao primeiro disco, mas também dá para afirmar que o tempo de espera fez bem para as canções do No Class, pelo menos se comparado ao que fora registrado na coletânea "Pircorócócór" (Banguela, 1995). O álbum abre com "Too tired to think", rápida e melódica, assim como boa parte do álbum. Os vocais de apoio funcionam bem e dão os detalhes de outras boas canções, como "Fake it" e "Spare change". 

                    "Want something" foi lançado pelo pequeno selo paulistano Teenager in a Box, propriedade de Nenê Altro, numa embalagem simples do tipo envelope. Com distribuição e tiragem limitadas, o álbum passou praticamente despercebido.

                        Quer ouvir? Download aqui!
                        Também disponível no Youtube!

6 comentários:

  1. Eu tenho esse disco e ele me remete a coisas incríveis dos anos 90. Clássico demais! Bem lembrado, caro Marcelo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Coffee! Quanto tempo!
      Este disquinho é um clássico desconhecido. Quem sabe um dia seja revalorizado. No Class é muito bom!
      Abraços!

      Excluir
  2. ei eu gosto muito das músicas da coletânea do Banguela !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. richardjal!
      Eu também, mas neste disco o No Class tá diferente, mais rápido, mais hardcore, não lembra muito a banda que entrou no "Pircororcocor".

      Excluir
  3. Nessa época a banda tinha outra formação com os irmãos Fábio e Flávio no lugar do Sérgio e da Karina. Que tinham essa influência mais hardcore. E a gente compôs ele como banda, com a Carol escrevendo a maioria da letras, o que fez toda a diferença. Na época da demo e da coletânea eu (Fernando) e o Sérgio compunhamos as músicas sozinhos, letra e música. Valeu pelo blog!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh Fernando! Que ótimo receber este comentário, me ajuda a completar o texto. Gosto muito deste disco, sempre ouço, acho que o No Class está muito bem aqui.
      abraços e obrigado!

      Excluir