terça-feira, 29 de outubro de 2013

Space Invaders "Nas infecções mais graves, a posologia pode ser aumentada para 100 angstrons (2 comprimidos de 50)" (Bizarre, 2001)


           O longo e estranho título já dá uma mostra: o primeiro disco do trio de Pouso Alegre/MG não é um trabalho fácil. Criado na liberdade anarquista de arranjos, o som do Space Invaders é inclassificável. O híbrido de baixo-guitarra-bateria não segue nenhuma linha, ainda que divida com outros grupos, como o PexbaA, Diagonal e Debate, uma semelhança criativa, cada um à sua maneira.

        "Nas infecções mais graves..." traz 10 canções próprias de nomes tão improváveis quanto o que marca a lombada do CD, tais como "Seco ao abrigo da luz" e "Roberto Carlos". Muitas músicas têm vozes, mas não exatamente letras, ou então, sim, há letras, mas numa língua que ninguém entende. Portanto, não se trata de um álbum instrumental, mas é experimental até o som do último acorde. Os melhores resultados do trio estão em "Image coat hanger", "Valnei" e "Dança do sofá", esta puro Minutemen, muito bom! "Riff guide" fecha o álbum e traz a participação do coletivo Instituto e Lurdez da Luz. 

       Gravado em 1999 no estúdio El Rocha, em São Paulo/SP, o álbum foi o primeiro lançamento do selo paulistano Bizarre Music. O projeto gráfico é simples e com poucas informações, não há fotos do trio, muito menos "letras", se resume à ficha técnica econômica e design do ilustrador Rafael Lain.

            Quer ouvir? Download aqui!

4 comentários:

  1. Massa, um som bem experimental mesmo, curti muito "Roberto Carlos" =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LeZkUaCk!
      Também gosto muito desta. Tô atrás do segundo disco do Space Invaders. Boa banda!

      Excluir
  2. opa, eu sou o baterista.Tenho discos aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pumu Miranda!
      Ótima notícia! Procuro os outros discos, sei que existe mais um, são quantos? Vamos negociar? Quero postar textos sobre o Space Invaders!
      Abraços!

      Excluir