quarta-feira, 10 de julho de 2013

Suba "São Paulo Confessions" (MCD, 1999)


          Suba é o nome como ficou conhecido no Brasil o produtor Mitar Subotić. Originário da Sérvia, Suba se mudou para o Brasil em 1990, depois de vindo para o país para um curso de três semanas sobre ritmos afro-brasileiros em 1986, se apaixonou pela terrinha e pela produção musical nacional.

         Pesquisador de produção de música eletrônica, Suba conquistou espaço na produção de trilhas para desfiles, teatro e músicas para televisão e rádio, algo que por aqui ainda estava caminhando. Montou seu estúdio e produziu muita gente. Assinou de discos de prestígio como "Pierrot" da Marina Lima, "Benzina" de Edgard Scandurra, "Clubbing" de Edson Cordeiro, "Silêncio" de Arnaldo Antunes, "Fuá na casa de Cabral", do Mestre Ambrósio, além de discos menos conhecidos como o primeiro solo de Dinho Ouro-Preto, "Janela dos sonhos", da Taciana, trabalhou também com Hermeto Pascoal e André Geraisatti. Em 1994 montou junto com o guitarrista Fábio Golfetti o Angel's Breath, banda que deixou um disco.

        "São Paulo Confessions" é o único álbum de Suba. Traz 12 canções em 61 minutos, todas com convidados especiais, pessoas com quem Suba já havia trabalhado anteriormente. O disco abre com "Tantos desejos" parceria de Suba com Taciana e que no disco recebeu voz da estreante Cibelle e bateria do veterano João Parahyba. "Abraço" tem voz de Arnaldo Antunes e guitarra de Edgard Scandurra. Outros bons momentos estão em "Na neblina (In the fog)" e "Samba do gringo paulista", este um electrosamda com cavaco conduzido por Roberto Frejat, por sinal, Gringo Paulista era a forma como Suba era chamado na cidade de São Paulo.
Imagem retirada da Internet (autor desconhecido)

        "São Paulo Confessions" é um trabalho pioneiro, lançou bases para a produção da MPB no novo século, ao misturar música eletrônica com música ambiente e orgânica, também é precursor por se tratar de um disco de produtor, algo raro no mercado de discos brasileiros.

         O álbum recebeu excelentes críticas  e foi citado por Robert Dimery no livro "1001 discos para ouvir antes de morrer", de 2005. Lançado pelo próprio selo de Suba com distribuição nacional pela MCD, o disco também recebeu edição nos Estados Unidos, Japão e Europa.

         Mitar Subotić morreu num incêndio em seu estúdio enquanto trabalhava no álbum "Tanto tempo" de Bebel Gilberto. Era 2 de novembro de 1999. Suba tinha 38 anos e estava com "São Paulo Confessions" pronto para ser lançado.

          Quer ouvir? Download aqui!

2 comentários: