segunda-feira, 29 de julho de 2013

O Grande Ah!... "Mariantivel" (Independente, 1997)


              O estado de Minas Gerais tem uma grande tradição a música instrumental. Além de revelar nacionalmente muitos instrumentistas de talento, o estado também abriga uma grande quantidade de formações interessadas em criar caminhos para a música sem voz.

             O trio de Belo Horizonte O Grande Ah!... é um destes grupos, contudo, com projeção limitada à capital mineira. "Mariantível" é o segundo álbum do grupo. Lançado oito anos após a estreia em disco, aqui o trio segue definitivamente o caminho da música instrumental. O que no primeiro disco estava em desenvolvimento, e até mesmo deixou O Grande Ah!... caracterizado por fazer música pretensamente engraçada. Numa resenha publicada na revista Bizz sobre o álbum de 1989 o jornalista Marcel Plasse chegou a definir a banda como uma mistura de Jean Luc Ponty com Lô Borges, e finalizou brilhantemente o pequeno texto ao renomear a banda como O Grande Argh!...

         Em "Mariantível" o trio apresenta boas soluções instrumentais como pode ser observado no fusion da canção título,  na bossa da faixa de abertura, "Bolinha". Em "Polêmica" o instrumental à 14 Bis dá margens para que a qualquer momento surja a participação de Lô Borges, ela não vem (ufa!). A única com letra é "A sopa" poema de Lewis Carol com tradução de Augusto de Campos sob arranjo de Marcos Pimenta e voz de Letícia Coura.

         Lançado por conta própria, o álbum tem um caprichado projeto gráfico com ficha técnica das gravações e texto de apresentação do jornalista e músico Marcelo Dolabela, autor da maioria das letras do primeiro álbum. O segundo trabalho d'O Grande Ah!... teve repercussão restrita à Belo Horizonte.

         Quer ouvir? Download aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário