terça-feira, 18 de junho de 2013

Voluntários da Pátria (Baratos Afins, 1984)


          O quinteto paulistano Voluntários da Pátria foi a primeira banda brasileira com uma proposta estética e sonora representante do pós-punk. Formado em São Paulo/SP em 1982 por Nazi - com Z mesmo - (vocais), Thomas Pappon (bateria) Ricardo Gaspa (baixo) e os guitarristas Miguel Barella e Giuseppe Frippi, deixaram apenas um registro, este LP de 8 canções em 24 minutos.

        Apesar da curta trajetória da banda, que logo daria espaço a projetos individuais e novas bandas, Nazi e Gaspa se dedicariam ao Ira!, Thomas montou o Fellini e o Smack, Miguel e Giuseppe com o Alvos Móveis, o Voluntários da Pátria teve uma boa repercussão na capital e foi banda precursora no estilo, tendo se apresentado em todos os palcos do underground paulistano, tais como Carbono 14, Madama Satã, Napalm e Lira Paulistana.

       O Lado A abre com uma canção de título provocativo "O homem que eu amo", segue com o "Iô-iô" de versos niilistas e sarcásticos, como "Meu iô-iô não quer subir/Vou reclamar na coca-cola". "Cadê o socialismo?" foi uma boa provocação para aqueles anos de abertura política,não é por acaso que a canção fora interditada para execução pública. O disco ainda traz as instrumentais "Marcha" e "Nazi über alles". "Verdades e mentiras" tem a cara do pós-punk paulistano, umas das melhores do disco.

       O Voluntários da Pátria tentou algumas voltas durante a década de 80, com outras formações que reuniram mais uma turma de figuras conhecidas do rock paulistano, tais como Sandra Coutinho (Mercenárias), Guilherme Isnard (Zero), Edson X (Gueto), Maurício (Ultraje a Rigor) Kuki Stolarski e Akira S.

         Gravado no estúdio paulistano Mosh, o álbum foi o 11º lançamento do selo paulistano Baratos Afins, recebeu reedição em CD em 1996 com o acréscimo de 7 faixas bônus, incluindo duas inéditas. Ainda se encontra em catálogo em pode ser adquirido pelo site do selo.

           Quer ouvir? Download aqui!

11 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Marcelo, muito boa postagem, parabéns. Vc disse que o cd tem 7 faixas bônus e duas inéditas. As bônus são ao vivo ou demo? De qualquer maneira este disco foi muito importante na história do rock paulistano e nacional. Uma vez, não me lembro bem o ano, 87 ou 88 assisti um show do Ira e eles tocaram cadê o socialismo e o homem que eu amo, no centro cultural vergueiro. bons tempos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo!
      Obrigado. As bônus são estas:

      RESISTÊNCIA AFEGÃ
      IÔ IÔ *
      VERDADES E MENTIRAS *
      UM, DOIS, TRÊS, EU TE AMO *
      CADÊ O SOCIALISMO *
      FÚRIA BRASILEIRA *
      MARCHA
      (*) faixas ao vivo.
      Gosto muito deste disco, é cara do pós punk paulista. E a banda só tem figurinha também né. Queria ouvir estas canções com o Ira! Mas, agora só se for em algum bootleg perdido.
      Abração!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Por nada Coffeeboy, qualquer pedido, tamo aí! abraços

      Excluir
  4. cara seu site é fabuloso...valeu,só ta faltando o harry.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mick!
      Obrigado pela visita!
      Quanto a Harry, logo posto algum disco, penso n "Vessel's town", ou até mesmo no recém lançado "Eletric Fairy Tales".
      Tem uma música do Harry o tributo ao New Order, se chama "Essence" e tá aqui no blog.
      Abraços!

      Excluir
  5. Olá, será que vcs poderiam tirar uma dúvida sobre a música tem "Fúria brasileira"?

    A fúria do desempregado
    ????????????????????
    Sangue no supermercado
    Pau e pedra nas vitrines

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  6. Porra, desta banda do meu amigo NASI nao sabia, ate agr...

    ResponderExcluir
  7. Obg, de nada

    http://www.sescsp.org.br/programacao/104331_VOLUNTARIOS+DA+PATRIA

    ResponderExcluir
  8. Which is better Coke or Pepsi?
    ANSWER THE POLL and you could get a prepaid VISA gift card!

    ResponderExcluir