segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Zumbi do Mato “Menorme” (Qualé Maluco Records, 1997)




Primeiro disco do Zumbi do Mato, uma das bandas mais malucas do Rio de Janeiro, cidade que nos anos 90 cultivava uma porção de formações roqueiras absurdas. Aqui as letras e interpretações cômicas de Löis Lancaster combinam com as músicas produzidas pelo quarteto completado por Zé Felipe, Marcos Maskin e Bernardo Carvalho

Bizz, edição 131, julho de 1996
"Menorme" traz 28 músicas entre vinhetas, experimentos de estúdio, discursos improvisados e telefonemas gravados (serão falsos?). O disco começa (mesmo) com “O alien que veio pro espaço”, segue com “Buraco do Jabor”, um convite para todos conhecerem o buraco do famoso cineasta, jornalista e comentarista de política nacional, não sobra pra ninguém e todo mundo cabe. Dentre os versos da canção do Jabor há uma pérola da filosofia marxista contemporânea que diz: “a mamata é a mais valia do trabalhador”. A mesma canção também foi gravada pela banda brasiliense Macakongs 2099, poucos se atreveram até hoje a visitar o repertório do Zumbi do Mato. “Casinha de Papel” mostra que o niilismo dos ateus pode chegar a níveis mais complexos do que a descrença em deus e diabo. “Travestibular” é impagável, começa com uma divertida gravação de conversa telefônica para depois cair na letra que mostra que para ser travesti também exige uma certa dedicação acadêmica, cita a AIDS do filme “Kids” e ganha “Legalize Já” do Planet Hemp como música incidental.

Outros destaques ficam para “Tiroteio do esqueleto sem cabeça” o que em principio seria um relato de alguma ofensa descamba para momentos indescritíveis, mas muito divertidos, Löis tá possuído! “Potinho de anhanha” conta a história do fanhoso na farmácia, a canção ganhou um vídeo-clipe que na época provavelmente não foi exibido em lugar nenhum, mas tem no youtube. Em “Fica molhada que eu quero meter” Löis afirma ter um pau descomunal. Ainda tem outras “pérolas”, como “Quero ser seu PH”, “Zorba o grego” e “Europeido”. No final do disco há um discurso de mais de vinte minutos no qual Löis incorpora um misto de cientista e pastor evangélico, numa maluquice chamada “As primeiras células da vida”.

“Menorme” foi lançado pelo selo Qualé Maluco Records, propriedade de Formigão, baixista do Planet Hemp, e recebeu reedição em 2005 numa parceria dos selos Tamborete e Ant-Discos. O projeto gráfico é próprio para o disco, acompanhar as letras é um desafio, além dos pequenos caracteres, tudo foi feito à mão e as letras não seguem a ordem das canções.

Depois de “Menorme” o Zumbi do Mato continuou com seus shows esporádicos e gravou mais três discos. Se você gostou do álbum, saiba que os outros são altamente recomendáveis. Se você não gostou, passe longe.

            Quer ouvir? Download aqui!

4 comentários:

  1. Uma pena que o mediafire deletou...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gæn!
      O disco tá online de novo. Agora noutro servidor. Espero que consiga baixar.
      Abs!

      Excluir
    2. @discofurado tem como upar denovo?

      Excluir