terça-feira, 24 de julho de 2012

Hang the Superstars “First, lost and always” (Monstro Discos, 2005)




Um quinteto de Goiânia, mas também uma grande zoeira. “First, lost and always” é o seu único disco cheio do Hang The Superstars, aqui temos 12 canções com letras em inglês e revezamento vocal entre duas garotas malvadas e o guitarrista e vocalista Maurício, todas as músicas são rápidas, sujas e toscas.

O disco abre com “R.O.C.K.” uma ode barulhenta ao estilo selvagem que lança pistas sobre o restante do álbum. Guitarras em volume alto, às vezes pinçadas de surf music, às vezes meio psychobilly, somadas aos vocais new wave de Janaína e Eline e letras sobre putaria e besteiras, como em “I hate your daddy”, “I need ass”, “Evil machine”, que garantem a dança e a quebradeira. “Britadeira” rouba o riff de “New Day Rising” do Hüsker Dü na cara dura!

“First, lost and Always” foi gravado no estúdio Submarino e produzido por Clayton Martin, o projeto gráfico traz muitas fotos de vários momentos da banda. Este foi o último registro do HTS, entre K7s, EPs e demos. Pouco depois de lançar o disco o HTS encerrou atividades. Em 2011, foi proposta uma tentativa de documentário sobre a banda, o que também envolveria toda a cena rock da capital goiana entre o final dos 90’s e começo dos 00’s, momento em que a cidade se destacava por ter pelo menos três bandas que tocavam o horror, Mechanics, MQN e o Hang the Superstars. Chega a espirrar cerveja pelos alto falantes!

Quer ouvir? Download aqui!

Um comentário:

  1. Banda muito divertida ao vivo. Vamos conferir no estúdio.

    ResponderExcluir