domingo, 8 de janeiro de 2012

Okotô "Cobaia" (Ataque Frontal, 2000)


              O Okotô foi formado em São Paulo/SP em 1987, gravou seu primeiro disco em 1988 e "Cobaia" é o terceiro trabalho. Por mais que a banda tenha gravado um primeiro disco completamente incompreendido e diferente dos trabalhos posteriores, sempre soaram bastante honestos nos sons que produziram, neste álbum é uma porrada atrás da outra.
            “Cobaia” tem 11 canções e não passa dos 16 minutos, abre com “City of peace”, letra que ganharam de Wattie Buchan, vocalista do Exploited. Também tem letras em português, “Gorda”, “Cidadão urbanóia”, e na regravação de “Pobreza”, também incluída no disco “Traidô” tributo ao Ratos de Porão, a versão do Okotô ficou muito boa, violenta e podrona, destaque para o som que André Fonseca tira da sua guitarra. “Don’t fuck my head” ganhou vídeo clipe, exibido na MTV poucas vezes.
A banda se apresentou bastante com "Cobaia", apesar da minguada aparição nas revistas de música da época, pelo menos se comparado ao trabalho de divulgação do segundo disco, ”Monstro”, no qual o Okotô recebeu bastante divulgação e chegou a dividir uma capa da Bizz, em 1993, com outros três nomes que a revista considerava renovadores do cenário musical brasileiro do momento, chamaram esta nova geração de MPopB, mas o título não pegou fora das páginas da Bizz.
O Okotô passou por várias formações, mas André Fonseca e Cherry, o duo inicial, sempre se manteve. Em "Cobaia" o baixista é Jair Naves, que depois do fim da banda tornou-se vocalista do Ludovic para depois assumir uma carreira solo de bastante prestígio.
A capa e todo o projeto gráfico é do cartunista e ilustrador RHS, um trabalho bem legal, o encarte traz todas as letras. O disco foi lançado pelo lendário selo paulistano Ataque Frontal e ainda é possível encontrá-lo com o Renato Martins, proprietário do selo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário